sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Primeiro mês da nova vida

Apesar deste título cafona, ainda não tem um mês da cirurgia não. Mas falta pouco, já que operei dia 4 de novembro, então beleza....

A vida anda agitada, apesar de eu estar morrendo de tédio nesse tempo longe do trabalho E da vida social. Emendei férias na licença saúde e sinceramente não foram boas férias, já que eu não posso beber ou passear muito. Deve ter servido pra eu descansar bastante, é claro, mas serviu mais pra me matar de preguiça do mundo.

A pior parte, pelo que falam, já passou. 20 longos dias fazendo dieta líquida. Além de ter sido desagradável a parte de tomar litros de Ades Zero (malandro, que parada ruim) e sopa aguada e sem gosto, tb tinha essa parte insuportável de limitar as minhas saídas. A menos que eu decidisse carregar um farnel de sucos e sopas cada vez q punha o pé na rua.

Daí estou numa fase chamada de dieta pastosa, que nem é muito pastosa pra falar a verdade. Pode vitaminas (com leite desnatado e adoçante), purês de legumes (ou eles bem cozidos e amassados), frutas amassadas, e sopas de consistência normal (batidas no liquidificador), além de carne moída, frango e peixe desfiado, frozen iogurte, etc etc.

Te contar que a primeira vez que eu resolvi comer macarrão era do tipo cabelinho de anjo e eu aguentei no máximo 2 colheres de sopa e QUIS MORRER.

Pq esse é o meu atual problema: não tenho prazer algum comendo. Se antes eu passava o dia planejando o que ia comer, agora olho pro relógio e fico maldizendo a hora das refeições. Deveriam ser a cada 2 horas, mas nem a pau que eu vou sofrer 40 minutos a cada duas horas. não vou e não quero nem saber.

Passei da fase em que o meu maior pavor era não conseguir emagrecer, para uma depressão cafona, em que estou morrendo de medo de não poder voltar a ter prazer com a comida. Comer pouco eu sabia que era o objetivo, e inclusive tinha que ser, ou então morreria obesa. Mas perder o prazer com a comida definitivamente não estava nos meus planos.

Perdi uma amiga muitíssimo querida (a comida), e realmente sinto que é um luto sofrido. Talvez com a perda de peso, ou a melhora no quesito de opções de comida, eu volte a sentir alegria. No momento, tô pra baixo pra caramba, isso sim!

Então é isso. A vida está indo, 10 quilos se foram (e nem acho muito, mas tá super dentro das expectativas), planejando me mudar DE NOVO, e torcendo secretamente pra uma promoção no trabalho ainda em 2011. Só me falta poder comemorar as conquistas com aquela cerveja gelada que me visita diariamente nos sonhos.