sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Primeiro mês da nova vida

Apesar deste título cafona, ainda não tem um mês da cirurgia não. Mas falta pouco, já que operei dia 4 de novembro, então beleza....

A vida anda agitada, apesar de eu estar morrendo de tédio nesse tempo longe do trabalho E da vida social. Emendei férias na licença saúde e sinceramente não foram boas férias, já que eu não posso beber ou passear muito. Deve ter servido pra eu descansar bastante, é claro, mas serviu mais pra me matar de preguiça do mundo.

A pior parte, pelo que falam, já passou. 20 longos dias fazendo dieta líquida. Além de ter sido desagradável a parte de tomar litros de Ades Zero (malandro, que parada ruim) e sopa aguada e sem gosto, tb tinha essa parte insuportável de limitar as minhas saídas. A menos que eu decidisse carregar um farnel de sucos e sopas cada vez q punha o pé na rua.

Daí estou numa fase chamada de dieta pastosa, que nem é muito pastosa pra falar a verdade. Pode vitaminas (com leite desnatado e adoçante), purês de legumes (ou eles bem cozidos e amassados), frutas amassadas, e sopas de consistência normal (batidas no liquidificador), além de carne moída, frango e peixe desfiado, frozen iogurte, etc etc.

Te contar que a primeira vez que eu resolvi comer macarrão era do tipo cabelinho de anjo e eu aguentei no máximo 2 colheres de sopa e QUIS MORRER.

Pq esse é o meu atual problema: não tenho prazer algum comendo. Se antes eu passava o dia planejando o que ia comer, agora olho pro relógio e fico maldizendo a hora das refeições. Deveriam ser a cada 2 horas, mas nem a pau que eu vou sofrer 40 minutos a cada duas horas. não vou e não quero nem saber.

Passei da fase em que o meu maior pavor era não conseguir emagrecer, para uma depressão cafona, em que estou morrendo de medo de não poder voltar a ter prazer com a comida. Comer pouco eu sabia que era o objetivo, e inclusive tinha que ser, ou então morreria obesa. Mas perder o prazer com a comida definitivamente não estava nos meus planos.

Perdi uma amiga muitíssimo querida (a comida), e realmente sinto que é um luto sofrido. Talvez com a perda de peso, ou a melhora no quesito de opções de comida, eu volte a sentir alegria. No momento, tô pra baixo pra caramba, isso sim!

Então é isso. A vida está indo, 10 quilos se foram (e nem acho muito, mas tá super dentro das expectativas), planejando me mudar DE NOVO, e torcendo secretamente pra uma promoção no trabalho ainda em 2011. Só me falta poder comemorar as conquistas com aquela cerveja gelada que me visita diariamente nos sonhos.

terça-feira, 15 de novembro de 2011

quem é vivo... cêis já sabem

OI GENTE!!!

(agora vou fingir que esse blog não está cheio de teia de aranha nos cantos e seguir escrevendo como se estivesse tudo normal, ok?)

Então, muita água rolou desde a última vez q eu loguei no blogguer, né não? Fazer o q? eu sou assim mesmo, preguiçosa pra escrever e tals.

Vim aqui pq já tive vontade pelo menos umas 1000 vezes de excluir essa bagaça, mas de vez em quando dá vontade de vir e contar um cadinho da vida. Aliás, eu adoro blog que tem assunto, foco, informações, etc.
Mas tb curto muito esses que têm gostinho de diário, em que a gente pode se sentir próximo da vida de quem nunca conhecemos.

Pra começo de conversa, eu vou bem, muito obrigada! E vcs? #aloka

Enfim, vim falar que eu tô pensando em escrever de novo.
No momento será apenas sobre a minha mais nova aventura: uma gastroplastia.
Sim, cirurgia de estômago.
Eu fiz e espero que dê muuuuito certo. Mas não sei ainda. Tem muito pouco tempo pra eu saber se valeu.

Ando pensando só nisso, é claro. Em comida, em sacrifícios, em esperanças.

Então vamos ver se eu me animo e conto um pouco como tem sido essa jornada sofrida....

terça-feira, 5 de julho de 2011

Te amo calada...

Hoje tive uma DAQUELAS sessões na psicanálise.
Daquelas que te fazem pensa muito.

Eu ando cansada se ficar frustrada com tudo q não posso controlar. Bom esse é o resumo da ópera, claro.

A história começa com a incapacidade que tenho de viver um dia de cada vez.
Gasto 99% do meu tempo relembrando o passado e pensando no futuro.

Daí me pergunto pq diabos não consigo criar vínculos que durem. Notem bem: que durem de verdade. Pois cada amor que senti nessa vida continua vivo em mim...


Outro dia fui num evento que tinha várias pessoas que eu conhecia da época de ouro (vulgo adolescência).
Fui tensa, óbvio. Apavorada do povo me ver tão obesa e acabada. E com aquela dúvida eterna de saber SE alguém lembra de mim.
Fui querendo encontrar uma amiga. Não uma amiga qualquer. Uma daquelas que verdadeiramente moram no meu coração mas que, coisas da vida, não vejo há anos.
Fui sabendo que eu não representava nada na história de vida Dela.
Fui consciente de que as pessoas precisam construir suas relações paulativamente.
Fui na esperança louca, desesperada, de me sentir querida. Amada.

Claro que o fim da história é que ela nem CHUIM pra mim. Paciência.

Esse é o problema de vc ser uma pessoa difícil e viver com medo de se expressar. NOBODY CARES!

Enfim, tenho que aprender a demonstrar meu amor. SEM o medo de ser rejeitada.

Se isso não é uma puta lição, eu não sei o que é.

sábado, 14 de maio de 2011

Cansada de ser chata

Um dos meus maiores conflitos foi sempre discordar das avaliações gerais sobre mim.

De uma forma geral, eu sempre fui rotulada de chata, mal humorada, controladora e agressiva.
Passei anos sofrendo porque quando a gente tem fama de ruim, fica muito difícil ser boa. Ou melhor, ser vista de uma forma positiva.

Todo mundo tem dias ruins, menos eu. Ser ruim é minha rotina, minha sina.

Isso quer dizer que se eu tenho, sei lá, dor de dente e fico impaciente, "lá vem Patricia e suas pentelhações". Não que eu tenha dor de dente. Ou fique doente. Nunca fico, mas enfim.
Mas isso quer dizer também que eu tenho que entender e achar legal quando alguém acorda de ovo virado e me enche de patadas, pq né? É como se eu fizesse isso com o mundo diariamente.

Mas eu sigo em frente, convivendo com o fato que o mundo me faz um favor ao me deixar participar de suas tramas. E é complicado pacas viver nesse mundo em que no matter what eu não estarei à altura. Só queria saber o que é estar certa nessa vida.

Ando com preguiça de viver. QUEM NUNCA?

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Não sei usar salto...

Sabe, eu cresci como uma menininha super mocinha, daquelas q usam babados, meia calça (trauma), laçarotes e panz.

Não sei se por isso mesmo, tive aquela fase necessária e constrangedora da adolescência de só usar blusa preta, calças rasgadas e all star.

Dai fiz 16 anos e passei a ser gostosa. E linda. Whatever, passou. Mas nessa parte diliça da minha vida, eu usava decotes absurdos, transparências e MUITO SALTO. #biscatefeelings

Fato é q no meu aniversario de 19 anos tomei um tombo fuderoso (resultado da falta de comida + anfetamina + cerveja + chuva) do qual demorei ERAS pra me recuperar. Estava com um salto de 12 cm, fodi os ligamentos e tomei muito esporro.

Desde então, sou super adepta de rasteirinhas. Sabe como é, tu se acostuma a ficar confortável e q se dane o glamour.

Enfim. Semana passada comprei uma anabela (oi, moro em 1990 #1bjo) e putz, que maravilha. Super confortável e com uma alturinha QUASE digna. Mas é salto, néam?

Resultado? Muitos tropeços pelo caminho. E um baita tombo, daqueles cinematográficos, na calçada do trabalho. Parecendo um mamute rolando na grama.

Tirando o ego, tô inteirinha, tsá?
BEGOS

Patricia Navarro

sábado, 9 de abril de 2011

Oi gente!

Eu abandonei mesmo o blog, mas é q aconteceu TANTA coisa na vida q ó, deus me livre.

Mas vim aqui dar um oi e dizer q tá tudo bem.

E tipos, eu até queria dizer q ia voltar a escrever, mas né? Enganar a si mesma é uma merda. Porém, pretendo postar esporadicamente sim.
Nem que seja do celular, como é este caso.

BEGOS

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

Por fim, Libriana!

Pra acabar a lenga lenga.
_______________________________________________


Sexo


Para o libriano sexo é algo muito natural, que envolve amor e carinho. Ele é incapaz de ver sexo como algo malicioso e violento. Como é um signo de relacionamentos fáceis e costuma encantar as pessoas, logo cedo vai ter contato com sua a sexualidade. Carinhoso e romântico, vai gostar muito das primeiras carícias e será muito curioso para aprender cada vez mais para pode dar prazer à pessoa amada.

Quando a relação se torna mais íntima, ele se mostra extremamente sensual e receptivo. Um sussurro no ouvido e um carinho com a ponta dos dedos são capazes de provocar arrepios e despertar o desejo do libriano. Mesmo nos momentos mais quentes de uma relação, é importante aquela dose de requinte e sofisticação. Luz de velas, vinho, música romântica... um cenário mágico para viver um grande amor. É... realmente Vênus, a deusa do amor, rege este signo.

Profissão


Trabalhar com librianos é ter sempre alguém com quem você pode contar nos momentos de dificuldade. São muito compreensivos com seus colegas e sempre estarão promovendo encontros para integrar o grupo. Sabem fazer um clima de amizade e harmonia que faz com que todos queiram trabalhar ao seu lado. Só existe um problema : decidir. Quando são obrigados a resolver questões rapidamente eles simplesmente travam e sempre precisarão da opinião de alguém para decidir algo. Não se espante se encontrá-lo conversando com a copeira sobre a melhor maneira de investir num negócio arriscado. Ele só precisa de alguém que o ouça. Se você for solteiro terá que agüentar ele falar na sua orelha para se aproximar de outro colega de trabalho. Nunca tire a cadeira em frente à sua mesa : ele sempre vai precisar dela para chamar alguém e conversar. Você poderá vê-lo atrás de um monte de papéis e uma mesa mais confusa que um galinheiro : ele não sabe dizer não ao trabalho e sempre assume mais do que pode, até ficar desesperado e chamar alguém para ajudá-lo. Sempre se dão bem com seus superiores, e dão a impressão que são puxa-sacos. Você sempre verá um libriano conversando com seus superiores. Fique perto deles, pois se gostarem de você, vai apresentá-lo ao seu melhor amigo : o chefe.



Criança
Doce criança de Libra. Dócil e carinhosa, a criança libriana sempre encanta as pessoas ao seu redor. Seu jeito dengoso e meigo pode levá-la e ser coberta de mimos, na maioria das vezes. Desde cedo já é acostumada a ter todos os seus gostos atendidos. Também, quem resiste ao olhar de cachorrinho pidão que esta criança tem. Sempre atenta às suas coisas, a criança libriana demonstra seu bom gosto até na escolha de suas fraldas, que terão que ser macias e aconchegantes, até suas roupas que ela faz questão de escolher junto com os pais, que se espantarão com seu bom gosto natural.

Toda essa atenção dirigida ao pequeno libriano pode torná-lo mimado, podendo encontrar dificuldades quando crescer num mundo que nem sempre está disposta a lhe dar atenção. Fazem amizades facilmente, e isto será para a vida toda, sendo muito sociável e conversando com qualquer um. É bom acostumá-la desde cedo a conversar sim, mas saber selecionar um pouco as pessoas a que dá atenção.


______________________________________________


Só digo uma coisa. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

domingo, 2 de janeiro de 2011

Ressaca?

A veisalgia, conhecida popularmente como ressaca, descreve a soma dos efeitos fisiológicos desgradáveis que se segue a uma grande ingestão de bebida alcoólica.

As características mais comumente relatadas incluem cefaleia, náusea, sensibilidade à luz e a ruídos, letargia, disforia, diarreia e sede, tipicamente quando os efeitos tóxicos do álcool começam a desaparecer.

Embora a ressaca possa ser sofrida a qualquer tempo, geralmente aparece pela manhã após uma noite de bebedeira.
Além dos sintomas físicos, uma ressaca também pode incluir sintomas psicológicos, como depressão e ansiedade.

Causas
É um tipo de crise de abstinência.
Como qualquer outra bebida ou alimento, o álcool é metabolizado e distribuído pela corrente sanguínea para todas as células do corpo. A sensação de embriaguez e relaxamento ocorre quando ele chega ao cérebro. É o momento da intoxicação. O corpo faz um grande esforço para dar conta das doses excessivas. Quem mais trabalha é o fígado, que precisa produzir enzimas para absorvê-lo, transformá-lo em gordura e secretá-lo pela bile. Quando o trabalho acaba, o fígado quer mais e entra numa espécie de depressão, desorganizando todo o metabolismo. O sistema nervoso, que também foi acelerado, tem uma reação parecida.

O resultado é uma queda da força muscular, dor de cabeça, enjoo, diarreia, sensibilidade à luz e um cansaço enorme.

Oi? A Wikipédia me pediu autorização pro estudo de caso?

Tá foda hoje...

Enviado via iPhone